Primeiro estudo de vigilância genômica de larga escala no estado de Pernambuco revela uma dinâmica da pandemia diferente na região em comparação com o observado em outros estados do Brasil

Embora seja um dos epicentros mundiais da pandemia do novo coronavírus, a amplitude territorial e as diferenças estruturais do Brasil fazem com que a vigilância de epidemiologia genômica não seja homogênea entre estados e regiões do país. Até o momento de publicação deste artigo, em dezembro de 2020, poucos genomas haviam sido sequenciados no estado de Pernambuco, a sexta Unidade Federativa mais afetada do Brasil, um buraco no conhecimento acerca do comportamento da pandemia que os pesquisadores da Rede Genômica Fiocruz se propuseram a cobrir.

A partir do sequenciamento e análise de 101 genomas de SARS-CoV-2 isolados de pacientes sintomáticos no estado, foi possível identificar que, em Pernambuco, o comportamento da pandemia diferiu do observado em estados do Sudeste, como o Rio de Janeiro e São Paulo, nos quais foi verificada a presença de uma linhagem dominante por região, responsável pela maior parte dos casos — fenômeno também relatado por um estudo da Rede Genômica publicado como preprint em fevereiro de 2021 para o estado do Amazonas. Em Pernambuco, diversas linhagens do clado B.1.1 foram encontradas, sugerindo a entrada do vírus no estado em diversos eventos isolados. A detecção de linhagens tanto na capital Recife quanto nas cidades do interior do estado sugerem ainda que a transmissão comunitária entre municípios teve um papel relevante na dinâmica de espalhamento do vírus no estado.

Paiva MHS, Guedes DRD, Docena C, Bezerra MF, Dezordi FZ, Machado LC, Krokovsky L, Helvecio E, da Silva AF, Vasconcelos LRS, Rezende AM, da Silva SJR, Sales KGdS, de Sá BSLF, da Cruz DL, Cavalcanti CE, Neto AdM, da Silva CTA, Mendes RPG, da Silva MAL, Gräf T, Resende PC, Bello G, Barros MdS, do Nascimento WRC, Arcoverde RML, Bezerra LCA, Brandão-Filho SP, Ayres CFJ, Wallau GL. Multiple Introductions Followed by Ongoing Community Spread of SARS-CoV-2 at One of the Largest Metropolitan Areas of Northeast Brazil.

Doi: 10.3390/v12121414

Aguiar-Oliveira M. L., Campos A, R. Matos A, Rigotto C, Sotero-Martins A, Teixeira PFP, Siqueira MM. Wastewater-Based Epidemiology (WBE) and Viral Detection in Polluted Surface Water: A Valuable Tool for COVID-19 Surveillance—A Brief Review

Doi: 10.3390/ijerph17249251

Rangel, E. F., Afonso, M. M. D. S., Sotero-Martins, A., Campos, A., Coelho, W. N., Gama, E. L., Flores, G. L., Siqueira, M. M. & Aguiar-Oliveira, M. D. L. (2021). Can Climate and Environmental Factors Putatively Increase SARS-Cov2 Transmission Risks?

Doi: 10.34297/AJBSR.2021.11.001647